segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Tunísia busca equilíbrio entre democracia e religião - New York Times - iG

Tunísia busca equilíbrio entre democracia e religião - New York Times - iG

Foto: AFP
Homem com bandeira da Tunísia passa por estátua 
em homenagem a Bouazizi, vendedor que se imolou. 
Na parede, lê-se: 'Para todos os que anseiam pela 
liberdade' (17/12/2011)
iG repercute reportagem do NYT denotando as dificuldades, na Tunísia, de convivência entre a rigidez do islamismo e os anseios de democracia externados na derrubada da ditadura. A "primavera árabe" que começou na Tunísia, acabou por aumentar a influência do Islamismo em todos os países onde ocorreu.
O pano de fundo da reportagem é o julgamento de um diretor de televisão que pode ser condenado a 5 anos de prisão por ter liberado um filme francês que faz uma alusão à Maomé numa determinada cena, algo considerado como blasfêmia pelos muçulmanos.
Leitura importante para melhor entender o que se passa na Tunísia e outros países sob influência do Islamismo.

2 comentários:

SOLANGE MALOSTO " REPRESENTANTE OFICIAL DO ARTFORUM BRASIL IN MINAS www.cidadeartesdomundo.com.br disse...

TEMPO DEPOIS Páscoa: a fé ea dúvida
Quarta-feira, 16 de maio 201

Foi muito bonito viajamos 40 dias em preparação para a Páscoa do Senhor. Agora estamos em um novo tempo. Jesus ressuscitou, verdadeiramente, a promessa de ressurreição para todos nós. Nós celebramos a Vigília Pascal Solene em 7 de abril. Chamamos os tempos pós-Páscoa que vão desde a Páscoa até ao Pentecostes - 27 de maio. Mas Jesus ressuscitou a verdade? Por que existem tantas pessoas que não acreditam? Na verdade, a fé na ressurreição é um dom de Deus. Deus distribui os dons a todos, mas nem todos abrem seus corações para recebê-los no tempo dos apóstolos não foi diferente.
A liturgia destes dias após a Páscoa vai apresentar, num primeiro momento, as aparições do Senhor para despertar e fortalecer a fé dos seus discípulos, mas nem todo mundo acredita. O exemplo clássico é o de Thomas Mas percebemos, no fundo, a dificuldade de todos: "Quando ouviram que ele estava vivo e fora visto por ela (Maria Madalena), não acreditar" (Marcos 16:11). "Depois disso, Jesus apareceu a dois deles sob outra aparência, enquanto estavam indo para o campo. Eles disseram aos outros. Também não acredito que estes dois" (Mc 16,12-13). As mulheres acreditavam, mas os homens não: "Foi Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago também as outras mulheres que estavam com elas relataram estas coisas aos apóstolos, mas achei tudo uma ilusão e não acreditava." (Lucas 24, 10-11). "E dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e pés. Mas eles ainda não podiam acreditar, tão grande foi sua surpresa ea sua alegria" (Lucas 24:40-41). Então, poderíamos citar outros textos.
Os apóstolos e discípulos viveram tempo de sombras e dúvidas, mas aos poucos começou a acreditar, porém, com a vinda do Espírito Santo (Pentecostes - 50 dias depois da Páscoa), o vento soprou toda a nuvem escura do Espírito, dissipou todas as dúvidas, como um sol ao meio, limpou a mente eo coração dos apóstolos e discípulos. Aqui eu vejo a prova mais completa da ressurreição do Senhor: uma transformação radical no coração e na disposição interior dos discípulos. Duvidoso e com medo dos homens tornaram-se testemunhas corajosas e desafiante de qualquer ameaça de punição ou morte. "Pedro e João responderam:" Julguem vocês mesmos se é justo diante de Deus antes de obedecer-lhe que Deus! Quanto a nós, não podemos parar de falar sobre o que vimos e ouvimos "(Atos 4,19-20). Neste ponto já não temia ameaças, punições ou até mesmo a morte. Incrível, fantástico, incrível!
Nós não ter visto ou ouvido o Senhor Jesus pessoalmente, mas acreditamos no que nos foi transmitida por testemunhas oculares. E Jesus nos chama feliz ou abençoado. "Thomas respondeu:" Meu Senhor e meu Deus! "Jesus disse:" Creste porque eu vi? Bem-aventurados os que não viram e creram "(Jo 20,28-29).
Meu caro leitor (a) de vocês que acreditam, Jesus pede uma testemunha viva capaz de infectar os incrédulos. Para você que ainda não acredita, veja a história de milhares de mártires da fé, as histórias de centenas e milhares de pessoas que mudaram radicalmente suas vidas, porque acreditavam que Jesus verdadeiramente ressuscitou e está vivo em nosso meio.
Jesus ressuscitou verdadeiramente, aleluia, aleluia! E a minha vida tem sentido e direção.
Dom Emanuel Messias de Oliveira,
Bispo de Caratinga - MG
Recurso Solange Malosto Malosto www.programamaoamiga.com.br www.cidadeartesdomundo.com.br Oficial Representante Artforum Br EM MINAS

SOLANGE MALOSTO " REPRESENTANTE OFICIAL DO ARTFORUM BRASIL IN MINAS www.cidadeartesdomundo.com.br disse...

TEMPO DEPOIS Páscoa: a fé ea dúvida
Quarta-feira, 16 de maio 201

Foi muito bonito viajamos 40 dias em preparação para a Páscoa do Senhor. Agora estamos em um novo tempo. Jesus ressuscitou, verdadeiramente, a promessa de ressurreição para todos nós. Nós celebramos a Vigília Pascal Solene em 7 de abril. Chamamos os tempos pós-Páscoa que vão desde a Páscoa até ao Pentecostes - 27 de maio. Mas Jesus ressuscitou a verdade? Por que existem tantas pessoas que não acreditam? Na verdade, a fé na ressurreição é um dom de Deus. Deus distribui os dons a todos, mas nem todos abrem seus corações para recebê-los no tempo dos apóstolos não foi diferente.
A liturgia destes dias após a Páscoa vai apresentar, num primeiro momento, as aparições do Senhor para despertar e fortalecer a fé dos seus discípulos, mas nem todo mundo acredita. O exemplo clássico é o de Thomas Mas percebemos, no fundo, a dificuldade de todos: "Quando ouviram que ele estava vivo e fora visto por ela (Maria Madalena), não acreditar" (Marcos 16:11). "Depois disso, Jesus apareceu a dois deles sob outra aparência, enquanto estavam indo para o campo. Eles disseram aos outros. Também não acredito que estes dois" (Mc 16,12-13). As mulheres acreditavam, mas os homens não: "Foi Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago também as outras mulheres que estavam com elas relataram estas coisas aos apóstolos, mas achei tudo uma ilusão e não acreditava." (Lucas 24, 10-11). "E dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e pés. Mas eles ainda não podiam acreditar, tão grande foi sua surpresa ea sua alegria" (Lucas 24:40-41). Então, poderíamos citar outros textos.
Os apóstolos e discípulos viveram tempo de sombras e dúvidas, mas aos poucos começou a acreditar, porém, com a vinda do Espírito Santo (Pentecostes - 50 dias depois da Páscoa), o vento soprou toda a nuvem escura do Espírito, dissipou todas as dúvidas, como um sol ao meio, limpou a mente eo coração dos apóstolos e discípulos. Aqui eu vejo a prova mais completa da ressurreição do Senhor: uma transformação radical no coração e na disposição interior dos discípulos. Duvidoso e com medo dos homens tornaram-se testemunhas corajosas e desafiante de qualquer ameaça de punição ou morte. "Pedro e João responderam:" Julguem vocês mesmos se é justo diante de Deus antes de obedecer-lhe que Deus! Quanto a nós, não podemos parar de falar sobre o que vimos e ouvimos "(Atos 4,19-20). Neste ponto já não temia ameaças, punições ou até mesmo a morte. Incrível, fantástico, incrível!
Nós não ter visto ou ouvido o Senhor Jesus pessoalmente, mas acreditamos no que nos foi transmitida por testemunhas oculares. E Jesus nos chama feliz ou abençoado. "Thomas respondeu:" Meu Senhor e meu Deus! "Jesus disse:" Creste porque eu vi? Bem-aventurados os que não viram e creram "(Jo 20,28-29).
Meu caro leitor (a) de vocês que acreditam, Jesus pede uma testemunha viva capaz de infectar os incrédulos. Para você que ainda não acredita, veja a história de milhares de mártires da fé, as histórias de centenas e milhares de pessoas que mudaram radicalmente suas vidas, porque acreditavam que Jesus verdadeiramente ressuscitou e está vivo em nosso meio.
Jesus ressuscitou verdadeiramente, aleluia, aleluia! E a minha vida tem sentido e direção.
Dom Emanuel Messias de Oliveira,
Bispo de Caratinga - MG
Recurso Solange Malosto Malosto www.programamaoamiga.com.br www.cidadeartesdomundo.com.br Oficial Representante Artforum Br EM MINAS