domingo, 20 de abril de 2008

Papa diz à ONU que países devem intervir por direitos humanos


Papa diz à ONU que países devem intervir por direitos humanos

O papa Bento 16 disse nesta sexta-feira, em discurso na sede das Nações Unidas, em Nova York, que os países têm obrigação de proteger seus cidadãos de abusos de direitos humanos.

"Todo Estado tem a obrigação primordial de proteger a sua própria população de graves e continuadas violações de direitos humanos", disse o pontífice.

"Se os Estados não forem capazes de garantir tal proteção, a comunidade internacional precisa intervir com os meios jurídicos garantidos pela Carta das Nações Unidas."

Bento 16 acrescentou que o respeito aos direitos humanos é a chave para se resolver muitos dos problemas do mundo e ressaltou que a cooperação internacional está sendo ameaçada pelas "decisões de poucos".

"O consenso multilateral continua em crise porque está subordinado à decisão de um pequeno número", afirmou o papa.

Diálogo

Durante o pronunciamento, o pontífice também declarou que a ONU pode contar com a ajuda do diálogo entre as religiões e a disposição dos fiéis em praticar o bem comum.

"A tarefa deles (os fiéis) é a preservação da fé, não em termos de intolerância, discriminação e conflito, mas em termos de respeito completo pela verdade, coexistência, direitos e reconciliação", disse Bento 16.

A visita do líder da Igreja Católica à ONU, em Nova York é parte de sua viagem de sete dias pelos Estados Unidos.

Depois da passagem pela sede da ONU, o papa seguiria para uma visita a uma sinagoga de Nova York, horas antes do início do Pessach, a Páscoa judaica.

A agenda de Bento 16 por Nova York deve incluir ainda uma visita ao local dos atentados de 11 de setembro de 2001 e uma grande missa no Yankee Stadium.

Postar um comentário