segunda-feira, 9 de abril de 2012

Folha.com - Colunistas - Melchiades Filho - Tony Ramos está morto - 09/04/2012

Folha.com - Colunistas - Melchiades Filho - Tony Ramos está morto - 09/04/2012

Vejam comentário de editorialista da Folha sobre nova novela da Globo "Avenida Brasil". Finaliza assim: "Avenida Brasil" nos convida, ou nos coage, a torcer por quem faz o mal. Testa nossa ruína moral. Dói."

Texto completo conforme postado na Folha.com e na página 2 da Folha de S. Paulo hoje:

Nunca antes neste país houve novela tão lúgubre como "Avenida Brasil". A marca da maldade aparece toda noite, as cenas costuradas para afligir a audiência.
João Emanuel Carneiro já havia brincado com as fronteiras entre o "bem" e o "mal" no trabalho anterior. "A Favorita" demorou a esclarecer quem, afinal, era a vilã.
Mas ali o que surpreendeu, e virou marca-registrada do autor, foi o ritmo frenético. Cada capítulo abria e fechava um pedaço do enredo.
Desta vez, João Emanuel vai além na quebra de maniqueísmos. A ideia de pureza foi simplesmente suprimida logo na estreia da história, com a morte trágica do personagem de Tony Ramos.
O ator que durante décadas encarnou a honestidade na TV agonizou entre soluços de sangue, sob chuva torrencial, atropelado depois de constatar que a mulher era uma pérfida. O herói com caráter, vimos, não passava de um banana. Para piorar, no último suspiro ajudou a armar o novo golpe da algoz.
Adriana Esteves vive a vilã barra-pesada, antológica. Agride crianças, humilha o amante/comparsa, engana meio mundo enquanto planeja enganar a outra metade.
A novidade é que quase não há integridade nos demais personagens. Vide os galãs: o craque de futebol pulou a cerca no dia do noivado; o filho adotivo alterna pileques com rompantes machistas; o empresário boa praça faz rodízio de esposas.
A mocinha de doce só tem o rosto --Débora Falabella foi outra boa sacada de escalação. Para engatilhar a vingança, largou o namorado e se finge de amiga da cunhada da vilã.
Todos mentem e trapaceiam no subúrbio emergente e consumista que serve de cenário à trama. Vale o lema "os fins justificam os meios" (ou "rouba, mas faz", "rouba, mas pro partido", "todos roubam"...). "Avenida Brasil" nos convida, ou nos coage, a torcer por quem faz o mal. Testa nossa ruína moral. Dói.
Vai assistir?

Reflita neste texto:

Provérbios 6:16-19



Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta:
olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,
coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal,
a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.
Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta:

olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,

coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal,

a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.
Provérbios 6:16-19

Postar um comentário